Category Archives: Saúde

Campanha de Vacinação contra a Gripe começa nesta segunda em todo o país

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa nesta segunda-feira em todo o país. A imunização protege contra os vírus H1N1, influenza B e H3N2. Devem ser vacinados, até 1º de junho, crianças de 6 meses a 5 anos, maiores de 60 , trabalhadores de saúde, professores, presos, pessoas com necessidades especias e gestantes. Também estão na lista os indígenas e mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias. Em Goiás, a campanha de vacinação foi antecipada em virtude do aumento do número de casos. Segundo o Ministério da Saúde, foram confirmados este ano, 392 casos de gripe influenza, com 62 mortes. Para o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, a campanha deve atingir o maior número de pessoas para garantir a cobertura vacinal principalmente dos grupos prioritários. Occhi faz um alerta para os pais levaram as crianças aos postos, já que a campanha não será prorrogada. (Rádio2)

FacebookTwitterGoogle+Share

Casos de tuberculose na Bahia preocupam

O cenário da tuberculose no estado e em Salvador é “preocupante”, alertam gestores ligados aos programas de controle da doença do governo e da prefeitura. Em nível estadual, um plano de controle está sendo elaborado para tentar eliminar a tuberculose até 2035.Coordenadora do Programa de Controle da Tuberculose da Bahia, Maria Aparecida Rodrigues contou que o objetivo do plano de controle que deverá ser finalizado até junho deste ano é reduzir a incidência registrada em 2017, de 29 casos por 100 mil habitantes, para 10/100 mil.A taxa de óbitos também é alvo da tentativa de redução, de 1,9 óbito por 100 mil habitantes para 1/100 mil. O abandono do tratamento é outro aspecto que será focado. A taxa atual é de 8% e a meta é chegar a menos de 5%.Segundo dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a Bahia é o quinto estado com maior número de pessoas com tuberculose e, entre os da região Nordeste, ocupa a segunda posição. Ano passado, foram registrados 357 óbitos por tuberculose. Em Salvador, foram 104. (Atarde)
FacebookTwitterGoogle+Share

Brasil tem 328 mortos por febre amarela, confirma Ministério

Foto: Reprodução / Reclame Aqui

O Ministério da Saúde divulgou dados confirmando 328 mortes em razão da febre amarela entre 1º de julho do ano passado e 3 de abril deste ano. No mesmo período, foram confirmados 1.127 casos da doença no país, um aumento em relação ao ano anterior, quando o registro era de 220 óbitos e 691 casos. De acordo com o Estadão, o ministério recebeu notificações de 4.548 casos suspeitos da doença, sendo 2.441 descartados e 980 em investigação. O atual ministro da saúde, Gilberto Occhi, destacou que “embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores à sazonalidade passada, o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país com maior contigente populacional, atingindo 35,9 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação da vacina”. Os informes da febre amarela seguem, desde 2017, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. (Bahia Notícias)

FacebookTwitterGoogle+Share

Sesab rompe contrato com Martagão Gesteira e afeta atendimento, denuncia Cremeb

Foto: Divulgação

O Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb) denuncia a rescisão abrupta do contrato da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) com o Hospital Martagão Gesteira. Segundo o Cremeb, o rompimento do contrato vai impactar no atendimento a crianças. De acordo com informações do Conselho, o tempo ideal para realizar uma cirurgia de fratura infantil é de 72 horas após a lesão. Até então, o hospital garantia a realização do procedimento para população em 48 horas após o primeiro atendimento. Mas, conforme diz o conselheiro Fernando Cal Garcia, com a ruptura do contrato, a rede pública poderá levar até 15 dias para marcar as cirurgias. O Martagão Gesteira é o único hospital infantil ortopédico e traumatológico da Bahia, com uma equipe de profissionais treinada na assistência à criança. O Cremeb afirma que o rompimento do contrato se deu pelo fato da Sesab acreditar que o Hospital do Subúrbio pode assumir essa demanda. O órgão lembra ainda que nos últimos dois dias foram noticiadas que crianças com fraturas aguardam uma vaga na Central de Regulação, que tem uma fila atual de 1,4 mil pessoas, com apenas 150 vagas por dia. “A nossa esperança é que essa medida seja revista e que a criança portadora de fratura possa ser tratada de forma ética e correta”, pontua o conselheiro Fernando Cal. “Além do agravo às cerca de 120 crianças atendidas por dia, o Martagão tem a sua especialidade justificada com os projetos de residência médica com 10 preceptores, ponto de estágio supervisionado, equipamentos e estrutura focados no atendimento infantil e o cumprimento de oito turnos cirúrgicos por semana”, enfatiza o conselheiro. O Conselho ainda afirma que pode haver demissões. O conselheiro do Cremeb Otávio Marambaia ainda alerta para os déficits que podem ocorrer por limitações orçamentárias nas áreas de cirurgia cardíaca e neurocirurgia, além da área de otorrinolaringologia do Martagão Gesteira. “O serviço do hospital tem propiciado atendimento aos pequenos pacientes, mas encontrado muita dificuldade devido à restrição de verbas o que impede, por exemplo, o internamento para cirurgia em número necessário para evitar formação de grandes filas. No momento, mais de 100 crianças sofrem na espera de uma vaga para realizar procedimento cirúrgico de adenoides e amígdalas”, afirma ele. O caso será encaminhado ao conhecimento do Ministério Público do Estado da Bahia pela própria Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil – Hospital Martagão Gesteira. “Destacamos que nos encontramos abertos a negociações com o Estado da Bahia para futuras negociações quanto ao atendimento ortopédico e aos demais contratos citados acima, de forma a mantermos nossa missão quanto ao atendimento de qualidade para as crianças que necessitam de atendimento especializado”, conclui. (Bahia notícias)

FacebookTwitterGoogle+Share

Médicos fraudadores deram centenas de diagnósticos de glaucoma falsos

Delegado federal Jorge Vinícius Gobira Nunes fala sobre operação contra fraude no Sudoeste (Foto: Blog do Anderson)

Mais de 300 pessoas foram diagnosticadas com glaucoma sem ter a doença, no interior da Bahia, e iniciaram o tratamento com os colírios para o problema oftalmológico que é a terceira maior causa de cegueira no Brasil, sem ter necessidade. Segundo investigação da Operação Lanzarote, da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta terça-feira (27) no estado e no vizinho Sergipe, os falsos diagnósticos foram dados pelo Instituto Oftalmológico da Bahia (IOBA), clínica de Guanambi, no Sudoeste baiano, investigada por cometer fraudes contra o Projeto Glaucoma, do Ministério da Saúde (MS). Instituído pelo Governo Federal, o projeto cadastra e contrata instituições de saúde no país para o tratamento oftalmológico de pacientes de baixa renda que têm glaucoma, com o atendimento clínico e o fornecimento contínuo de medicação (colírios). O projeto é financiado pelo Fundo de Ações Estratégicas e Compensação, do ministério. À frente do projeto em Guanambi, o Instituto Oftalmológico da Bahia (IOBA) teria recebido, de 2013 até maio de 2017, repasses de R$ 9,4 milhões do MS, relativos aos atendimentos a pacientes em 31 municípios baianos, a maioria situados na microrregião de Guanambi, cidade que recebeu o projeto por meio de um convênio do ministério com a Secretaria de Sáude local. Na operação, o sócio-administrador do IOBA, que não teve o nome revelado, foi preso em Aracaju. A PF também cumpriu mandados de busca e apreensão nas cidades de Guanambi e Brumado (BA) e em Itabaiana (SE). Os alvos nessas cidades foram as clínicas afiliadas ao IOBA.

Mutirões 
A PF ainda apura o quanto a clínica lucrou com as fraudes ao projeto. Segundo o delegado federal Jorge Vinícius Gobira Nunes, chefe da Delegacia de Vitória da Conquista (sudoeste da Bahia) e que comandou a Operação Lanzarote, as fraudes estão relacionadas aos  locais inadequados de atendimento, como salões paroquiais, câmaras de vereadores, clubes, centros comunitários, ginásios e teatros, onde caberiam mais pacientes do que o recomendado pelo programa. Outro fato investigado é a prescrição pelos médicos envolvidos de colírios específicos para doentes com glaucoma para quem não precisava desses medicamentos. Os atendimentos chegavam a cerca de 500 pacientes por dia, quantifica Jorge Vinícius, acrescentando que o IOBA havia sido habilitado pelo programa para receber os pacientes apenas em uma clínica própria. Nos atendimentos, continua o delegado, “muitas pessoas que não tinham glaucoma eram diagnosticadas com a doença para recebimento do colírio e, assim, a clínica obter mais lucros. Também era fornecido sempre o colírio mais caro para obter lucro. No tratamento do glaucoma, há diversos colírios que são usados, e no caso do projeto em Guanambi estavam sendo receitados os das linhas 1, 2 e 3. Os colírios eram comprados em diversos laboratórios, segundo a PF, por um valor bem inferior do que está na tabela do SUS. De acordo com a regulamentação do Projeto Glaucoma, o SUS realiza o pagamento (repasse) à clínica gestora  do valor dos colírios, sendo que os da linha 3 (prostaglandinas) custam cerca de seis vezes mais que os da linha 1 e 70% a mais que os da linha 2, assinala a PF. O nome da operação Lanzarote fez referência à ilha onde viveu o  escritor português José Saramago, autor do premiado romance Ensaio sobre a Cegueira. (Correio da Bahia)

FacebookTwitterGoogle+Share

Bahia já registrou 615 casos de tuberculose este ano

A tuberculose continua fazendo vitimas em todo Brasil. Dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) apontam que de janeiro até março foram registrados 615 casos da doença na Bahia. Desse total, 230 em Salvador. A faixa etária mais atingida pela tuberculose é de 20 a 49 anos, com 55,2% incidência dos casos.O estado continua sendo o 5º com o maior número de pessoas infectadas no país e ocupando a 2ª posição entre os estados da região Nordeste. Em 2017 a Bahia registrou 4.610 casos de tuberculose. Em todo estado foram diagnosticados 357 óbitos, sendo 104 em Salvador.Com o objetivo de chamar a atenção da sociedade sobre a doença neste domingo , Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a Secretaria Municipal de Saúde do Salvador (SMS) promove na Arena Fonte Nova uma ação para alertar a população sobre a gravidade da doença. ( Tribuna da Bahia)
FacebookTwitterGoogle+Share

SUS vai distribuir novo medicamento para tratar tuberculose a partir de maio

Foto: Divulgação

Um novo medicamento para tratar tuberculose deve chegar à rede pública de saúde em maio. O medicamento isoniazida, de 300 miligramas permitirá a substituição de três comprimidos por apenas um. A expectativa é que a mudança garanta mais conforto aos pacientes. Segundo o Ministério da Saúde, foram adquiridas cinco mil caixas do remédio, que correspondem a 2,5 milhões de comprimidos. A implantação do medicamento será acompanhada por uma pesquisa desenvolvida pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Os estudos terão apoio de pesquisadores externos nos estados do Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e no Distrito Federal, que receberão, inicialmente, o medicamento. Em 2017, foram registrados 69,5 mil novos casos e 13.347 casos de abandono do tratamento de tuberculose. No mesmo ano, o percentual de cura de casos novos foi 73%, sendo que os estados do Acre (84,2%), de São Paulo (81,6%) e do Amapá (81,7%) alcançaram os maiores percentuais de cura. Para estimular o tratamento da doença, neste sábado (24) Dia Mundial de Combate à Tuberculose, o ministério lança a campanha Tuberculose Tem Cura. Todos juntos contra a tuberculose. A campanha vai ao ar entre os dias 23 e 30 de março e visa a conscientizar as pessoas a procurarem unidades de saúde para o diagnóstico, e os pacientes a realizarem o tratamento completo para atingir a cura. (Bahia Notícias)

FacebookTwitterGoogle+Share

Parte dos recursos das multas de trânsito pode ser destinada para atender vítimas de acidentes pelo SUS

Proposta (PL 9553/18) em análise na Câmara define que um percentual dos recursos provenientes de multas de trânsito seja destinado para o atendimento das vítimas de acidentes pelo Sistema Único de Saúde. O texto altera o Código Brasileiro de Trânsito (Lei 9.503) para explicitar entre os usos dos recursos das multas o atendimento de emergência no SUS. Pelo texto, os estados e o Distrito Federal têm que investir 12% e os municípios 15% do total de multas nos serviços de pronto atendimento dos hospitais públicos. O autor da proposta, deputado Sérgio Vidigal, do PDT do Espírito Santo, destacou que 70% dos atendimentos em ortopedia e traumatologia são de pacientes vítimas de acidentes de trânsito. “8,8 bilhões de reais é a arrecadação anual com multas no país e nós não sabemos qual é a destinação, nós não conhecemos a destinação. Nós precisamos então carimbar essa destinação, da mesma forma que está colocado lá muito superficialmente que é pra segurança no trânsito e educação no trânsito nós também estamos colocando da necessidade de que acidente que ocorre no trânsito tenham garantia de recursos para atender esses pacientes no sistema único de saúde.”  O coordenador da Frente Parlamentar pelo Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal, do PSB do Rio de Janeiro, afirmou que mais importante que destinar mais recursos é saber como os recursos que já existem estão sendo usados. “50% do seguro DPVAT, do que é arrecadado hoje é em torno de 4 bilhões de reais. A pergunta é como estão sendo aplicados? Eles estão sendo aplicados também em campanhas de conscientização do Ministério da Saúde para a área de trânsito? Isso é importante.” A proposta que tramita apensada a outros projetos já está pronta para ser analisada pelo Plenário. (Rádio Câmara)

FacebookTwitterGoogle+Share

Governo quer vacinar 10 milhões de adolescentes

O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (13) a Campanha de Mobilização e Comunicação para a Vacinação do Adolescente contra HPV e Meningites. Cerca de 10 milhões de jovens estão sendo convocados a comparecer aos postos de saúde para serem imunizados.Devem receber a dose contra o HPV meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Já a faixa etária de imunização contra a meningite C foi ampliada e passa a ser de 11 a 14 anos. Até o ano passado, eram imunizados apenas meninos e meninas de 12 e 13 anos.“A campanha está completamente de acordo com a mudança de foco que estamos implantando no Ministério da Saúde, que é priorizar a prevenção”, avaliou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Carla Domingues, explicou que a vacina estará disponível o ano inteiro para adolescentes e não em um período pré-definido. (Jornal do Comércio)
FacebookTwitterGoogle+Share

10 novos procedimentos terapêuticos serão realizados pelo SUS

O Ministério da Saúde anunciou durante a abertura do 1º Congresso Internacional de Práticas Integrativas e Saúde Pública (INTERCONGREPICS) a inclusão de 10 novos procedimentos para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O evento ocorreu na manhã desta segunda-feira (12). De acordo com informações do G1, os novos tratamentos são terapêuticos, baseados em conhecimentos tradicionais, voltados para curar e prevenir doenças, como depressão e hipertensão. Com as novas atividades, ao todo, o SUS passa a ofertar 29 procedimentos à população.

Ministro é vaiado ao citar Temer

Durante o evento o ministro da Saúde, Ricardo Barros, foi vaiado ao citar o nome do presidente Temer durante discurso, além de ouvir gritos de “Fora Temer”. Ele finalizou seu discurso lembrando que a prioridade do ministério é buscar a informatização do SUS e depois a sua regionalização.

Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares

Em 2006, quando foi criada a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) eram ofertados apenas cinco procedimentos. Após 10 anos, em 2017, foram incorporadas 14 atividades, chegando as 19 práticas disponíveis atualmente à população: ayurveda, homeopatia, medicina tradicional chinesa, medicina antroposófica, plantas medicinais/fitoterapia, arteterapia, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa, termalismo social/crenoterapia e yoga. As terapias estão presentes em 9.350 estabelecimentos em 3.173 municípios, sendo que 88% são oferecidas na Atenção Básica. Em 2017, foram registrados 1,4 milhão de atendimentos individuais em práticas integrativas e complementares. Atualmente, a acupuntura é a mais difundida com 707 mil atendimentos e 277 mil consultas individuais.

Confira cada uma das dez novas práticas:

Apiterapia – método que utiliza produtos produzidos pelas abelhas nas colmeias como a apitoxina, geléia real, pólen, própolis, mel e outros.

Aromaterapia – uso de concentrados voláteis extraídos de vegetais, os óleos essenciais promovem bem estar e saúde.

Bioenergética – visão diagnóstica aliada à compreensão do sofrimento/adoecimento, adota a psicoterapia corporal e exercícios terapêuticos. Ajuda a liberar as tensões do corpo e facilita a expressão de sentimentos.

Constelação familiar – técnica de representação espacial das relações familiares que permite identificar bloqueios emocionais de gerações ou membros da família.

Cromoterapia – utiliza as cores nos tratamentos das doenças com o objetivo de harmonizar o corpo.

Geoterapia – uso da argila com água que pode ser aplicada no corpo. Usado em ferimentos, cicatrização, lesões, doenças osteomusuculares.

Hipnoterapia – conjunto de técnicas que pelo relaxamento, concentração induz a pessoa a alcançar um estado de consciência aumentado que permite alterar comportamentos indesejados.

Imposição de mãos – cura pela imposição das mãos próximo ao corpo da pessoa para transferência de energia para o paciente. Promove bem estar, diminui estresse e ansiedade.

Ozonioterapia – mistura dos gases oxigênio e ozônio por diversas vias de administração com finalidade terapêutica e promove melhoria de diversas doenças. Usado na odontologia, neurologia e oncologia.

Terapia de Florais – uso de essências florais que modifica certos estados vibratórios. Auxilia no equilíbrio e harmonização do indivíduo.

FacebookTwitterGoogle+Share

Ministério da Saúde confirma 723 casos de febre amarela

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira os números atualizados de casos de febre amarela no país conforme informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde. Entre 1º de julho de 2017 e 28 de fevereiro de 2018, foram confirmados 723 casos da doença no país, que resultaram em 237 mortes. No período equivalente do ano anterior, entre julho de 2016 e 28 fevereiro de 2017, foram confirmados 576 casos e 184 óbitos.Ao todo, 2.867 casos suspeitos foram notificados. Destes, 1.359 foram descartados e 785 ainda estão sendo investigados.A febre amarela é uma doença sazonal, com maior número de casos no verão, e segundo o Ministério da Saúde, apesar de o número de casos no atual período de monitoramento ser superior à sazonalidade passada, a incidência da doença entre a população caiu. (O Dia)
FacebookTwitterGoogle+Share

Associação entra com pedido de liminar para uso de maconha medicinal na Bahia

O uso medicinal da cannabis pode ajudar no tratamento de diversas doenças (Foto: Divulgação)

Associação para Pesquisa e Desenvolvimento da Cannabis Medicinal no Brasil (Cannab) entrou com um pedido de liminar na 6ª Vara da Justiça Federal, nesta segunda-feira (19), para obter a liberação para o plantio, o cultivo e a extração do óleo medicinal de CBD. A instituição foi criada em Salvador, no ano passado, e reúne pacientes que precisam da Cannabis como medicação. No total, 50 pacientes serão beneficiados caso a decisão da Justiça seja favorável. A decisão está nas mãos da juíza Rosana Noya Alves Weibel Kaufmann. O presidente da Associação, Leandro Stelitano, informou que o número de pessoas que precisa da medicação é maior, e que uma nova liminar será impetrada nos próximos dias. “Entramos com uma liminar para 50 pacientes porque são aqueles que conseguiram a receita e o relatório médico que atestam a necessidade da medicação, mas temos mais de 300 pessoas cadastradas no nosso site.

O óleo extraído da cannabis pode auxiliar no tratamento de várias doenças (Foto: Arquivo CORREIO)

A maioria dos pacientes tem dificuldade para conseguir a prescrição médica, e os médicos que prescrevem essa receita cobram muito caro pela consulta”, afirmou.Leandro contou que para tentar contornar a situação, a Associação está levando os pacientes, alguns do interior do estado, para consultas com especialistas no Instituto de Neurologia, em Salvador. “Temos seis neurologistas que apoiam a Associação. À medida que os pacientes conseguirem as receitas e os relatórios, vamos acionar novamente a Justiça”, disse. A maioria dos pacientes é portadora de epilepsia refratária de difícil controle, mas também há pacientes com Parkinson, autismo, esclerose múltipla e microcefalia. Todos, a maioria de baixa renda, estão aguardando para se tratar com substâncias extraídas da cannabis, como o CBD ou com o chamado THC (Tetraidrocanabidiol), que, a depender da planta, também compõe o óleo e pode ajudar no tratamento de doenças como o câncer, por exemplo. Não existe prazo para a decisão sobre o pedido de liminar, mas os advogados da Associação acreditam que a Justiça dê uma resposta em até dez dias, como acontece em outros casos de pedido de liminar. (Correio da Bahia)

FacebookTwitterGoogle+Share

O tratamento de fratura em idosos.

“O QUE EU RECOMENDO NA LITERATURA” – PRINCÍPIOS DE ASSISTÊNCIA COMPARTILHADA E O CENTRO GERIÁTRICO DE FRATURAS

Autores: Daniel Ari Mendelson e Susan M. Friedman.

Comentários: Dr. Itiro Suzuki. Corresponsável pela Equipe Multidisciplinar de Ortopedia Geriátrica;

Este artigo, publicado em uma revista de Geriatria, traz à tona o conceito de Assistência Compartilhada, no tratamento das fraturas por fragilidade nos idosos, em um centro geriátrico de fraturas (Geriatric Fracture Center / GFC), com ênfase nas fraturas do quadril.

Uma unidade voltada para o tratamento de fraturas por fragilidade nos idosos, baseia-se em 5 princípios:

A maioria dos pacientes se beneficia da estabilização cirúrgica das suas fraturas. Quanto mais precoce for a realização da cirurgia, haverá menos tempo para o desenvolvimento de doenças iatrogênicas. A Assistência Compartilhada com comunicação frequente entre a equipe previne as complicações médicas e funcionais.

Protocolos padronizados diminuem a variabilidade injustificada de condutas.

O planejamento da alta se inicia na admissão. Com base em uma revisão da literatura sobre o assunto, os autores enfatizam o benefício que estes princípios acarretam e o melhor desfecho dos casos em que é adotada a Assistência Compartilhada, onde prevalece a divisão interdisciplinar autônoma de responsabilidades no tratamento dos pacientes, diferente dos modelos habituais em que um especialista, geralmente o ortopedista, assume o comando do tratamento e convoca os demais profissionais para assistir no atendimento do paciente. O modelo proposto, adotado em um centro de referência reconhecido na atenção aos idosos de Rochester nos Estados Unidos, representa uma mudança de paradigmas tradicionais, implica em poucos custos operacionais e poderá ser adotado na maioria das instituições.

Plural Ipiaú: Fica a grande duvida, porque não se aplica este protocolo aqui em Ipiaú?

FacebookTwitterGoogle+Share

Ipiaú: Vereador Orlando Santos faz indicações por revitalização de áreas esportivas

campoda

Na Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores nessa terça-feira(21), o vereador Orlando Santos apresentou algumas Indicações ao Poder Executivo, assim como: revitalização da área de lazer do Rio Novo ( Campo da Baixada ), contando também com a construção de vestiários e arquibancadas no campo; revitalização da área de lazer no Areião do Arara; revitalização da área de lazer Areião do Arara; revitalização do campo de futebol do Bairro ACM e reativação da área de lazer Mangabeira, mais conhecida como “Toca do Leão”, na Avenida São Salvador. Na oportunidade, o edil justificou suas indicações afirmando que as citadas áreas, uma vez beneficiadas, ofereceriam conforto e segurança aos esportistas e ao público que acompanha as partidas. ” O campo de futebol é um dos poucos locais de entretenimento e lazer da nossa cidade”, afirmou Orlando.

FacebookTwitterGoogle+Share